Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Qua | 27.06.12

Divisões e subtracções!

sueamado



Lá fomos nós, uma vez mais, para outra sessão de um de muitos julgamentos que ainda irão ocorrer. Que triste fica o ser humano quando se esquece de si mesmo, dos seus valores, quando desama, nem que a palavra não exista, mas é a que melhor descrever os sentimentos deste novo século.

Como se pode, e após uma vida inteira em comum, querer tanto mal a alguém a quem já fizemos juras de amor, com quem partilhámos tantas noites e dias de tanta coisa, bonita? Não entendo e vou continuar sem, mesmo que se esforcem muito para me explicar.

Também eu sou fruto de uma relação que não sobreviveu, mas mantemo-nos unidos em prole do mais importante para ambas as nossas existências, que são os nossos rebentos. Por eles continuamos a comer pão que o Diabo amassou e assim será sempre, pelo menos para mim, enquanto me reconhecer como gente que pensa, sente, respeita e tem memória, sim, porque é a memória que nos faz avançar.

Deveria ser proibido ter tanto rancor, deveria ser taxado à perentagem máxima, criado um novo imposto, porque chispar tanta raiva e descer ao nível mais baixo da raça, é feio e não nos granjeia nenhum respeito. Já não me surpreendo e cada dia oiço falar em mais casos, mas fico triste, sem lamechices por favor, mas genuinamente triste com a incapacidade de algumas pessoas, e sobretudo porque tenho a certeza, sei de fonte segura, que se irão arrepender amargamente de tudo, nem que seja do tempo perdido, dos recursos mal canalizados, de tudo o que não adianta e não merece o nosso desgaste.

Aconselho vivamente a que lambam as feridas com prazer, numa qualquer praia paradisíaca, à volta de uma mesa com um excelente vinho, a dançar ou a conviver com gente saudável. Que me perdoem os advogados que lá vão fazendo um trabalho meritório, mas não se gastava melhor o dinheiro assim? Tenham dó, quem não nos quer, não quer e pronto. Há que ter amor próprio e seguir em frente, porque há uma vida para além daquela que tivemos!
Qua | 27.06.12

Divisões e subtracções!

sueamado



Lá fomos nós, uma vez mais, para outra sessão de um de muitos julgamentos que ainda irão ocorrer. Que triste fica o ser humano quando se esquece de si mesmo, dos seus valores, quando desama, nem que a palavra não exista, mas é a que melhor descrever os sentimentos deste novo século.

Como se pode, e após uma vida inteira em comum, querer tanto mal a alguém a quem já fizemos juras de amor, com quem partilhámos tantas noites e dias de tanta coisa, bonita? Não entendo e vou continuar sem, mesmo que se esforcem muito para me explicar.

Também eu sou fruto de uma relação que não sobreviveu, mas mantemo-nos unidos em prole do mais importante para ambas as nossas existências, que são os nossos rebentos. Por eles continuamos a comer pão que o Diabo amassou e assim será sempre, pelo menos para mim, enquanto me reconhecer como gente que pensa, sente, respeita e tem memória, sim, porque é a memória que nos faz avançar.

Deveria ser proibido ter tanto rancor, deveria ser taxado à perentagem máxima, criado um novo imposto, porque chispar tanta raiva e descer ao nível mais baixo da raça, é feio e não nos granjeia nenhum respeito. Já não me surpreendo e cada dia oiço falar em mais casos, mas fico triste, sem lamechices por favor, mas genuinamente triste com a incapacidade de algumas pessoas, e sobretudo porque tenho a certeza, sei de fonte segura, que se irão arrepender amargamente de tudo, nem que seja do tempo perdido, dos recursos mal canalizados, de tudo o que não adianta e não merece o nosso desgaste.

Aconselho vivamente a que lambam as feridas com prazer, numa qualquer praia paradisíaca, à volta de uma mesa com um excelente vinho, a dançar ou a conviver com gente saudável. Que me perdoem os advogados que lá vão fazendo um trabalho meritório, mas não se gastava melhor o dinheiro assim? Tenham dó, quem não nos quer, não quer e pronto. Há que ter amor próprio e seguir em frente, porque há uma vida para além daquela que tivemos!
Seg | 25.06.12

My book!

sueamado

Feelme/My book!

Pronto, resolvi-me... é desta! Comecei a escrever sobre divórcios, relações complicadas, violência física e psicológica, mas caaaalma, não vai ser mais um daqueles livros tão pesados e mórbidos com o qual acabamos a perder a fé nos homens. Decidi que este vai ser, realista obviamente, até porque já tenho à minha volta demasiados casos, mas vai ter muito humor, risos diários, choros também e alguma incredulidade.

O que pretendo?





Sobretudo que a geração mais jovem, as meninas que serão em breve mulheres, se possam acautelar, que não entrem em espirais de relações tumultuosas em nome do alegado amor. Minhas queridas amigas, quem ama não faz sofrer, quem ama quer para o outro tudo o que lhe faça feliz, deseja-lhe o mundo, as estrelas. Carrega no colo, ampara nas quedas e partilha os sucessos. Não se enganem, quem não nos respeita, não nos quer bem!

Em breve partilharei convosco pedacinhos de histórias, com elas espero elevar as nossas almas, valorizar-nos. Ser mulher é uma dádiva, proporciona-nos prazeres infinitos e tudo pela nossa imensa capacidade de dar.

Vamos lá a gostar de nós primeiro com muitos risos!
Seg | 25.06.12

My book!

sueamado

Feelme/My book!

Pronto, resolvi-me... é desta! Comecei a escrever sobre divórcios, relações complicadas, violência física e psicológica, mas caaaalma, não vai ser mais um daqueles livros tão pesados e mórbidos com o qual acabamos a perder a fé nos homens. Decidi que este vai ser, realista obviamente, até porque já tenho à minha volta demasiados casos, mas vai ter muito humor, risos diários, choros também e alguma incredulidade.

O que pretendo?





Sobretudo que a geração mais jovem, as meninas que serão em breve mulheres, se possam acautelar, que não entrem em espirais de relações tumultuosas em nome do alegado amor. Minhas queridas amigas, quem ama não faz sofrer, quem ama quer para o outro tudo o que lhe faça feliz, deseja-lhe o mundo, as estrelas. Carrega no colo, ampara nas quedas e partilha os sucessos. Não se enganem, quem não nos respeita, não nos quer bem!

Em breve partilharei convosco pedacinhos de histórias, com elas espero elevar as nossas almas, valorizar-nos. Ser mulher é uma dádiva, proporciona-nos prazeres infinitos e tudo pela nossa imensa capacidade de dar.

Vamos lá a gostar de nós primeiro com muitos risos!
Seg | 25.06.12

My book!

sueamado

Feelme/My book!

Pronto, resolvi-me... é desta! Comecei a escrever sobre divórcios, relações complicadas, violência física e psicológica, mas caaaalma, não vai ser mais um daqueles livros tão pesados e mórbidos com o qual acabamos a perder a fé nos homens. Decidi que este vai ser, realista obviamente, até porque já tenho à minha volta demasiados casos, mas vai ter muito humor, risos diários, choros também e alguma incredulidade.

O que pretendo?





Sobretudo que a geração mais jovem, as meninas que serão em breve mulheres, se possam acautelar, que não entrem em espirais de relações tumultuosas em nome do alegado amor. Minhas queridas amigas, quem ama não faz sofrer, quem ama quer para o outro tudo o que lhe faça feliz, deseja-lhe o mundo, as estrelas. Carrega no colo, ampara nas quedas e partilha os sucessos. Não se enganem, quem não nos respeita, não nos quer bem!

Em breve partilharei convosco pedacinhos de histórias, com elas espero elevar as nossas almas, valorizar-nos. Ser mulher é uma dádiva, proporciona-nos prazeres infinitos e tudo pela nossa imensa capacidade de dar.

Vamos lá a gostar de nós primeiro com muitos risos!
Seg | 25.06.12

My book!

sueamado










Pronto, resolvi-me... é desta! Comecei a escrever sobre divórcios, relações complicadas, violência física e psicológica, mas caaaalma, não vai ser mais um daqueles livros tão pesados e mórbidos com o qual acabamos a perder a fé nos homens. Decidi que este vai ser, realista obviamente, até porque já tenho à minha volta demasiados casos, mas vai ter muito humor, risos diários, choros também e alguma incredulidade.

O que pretendo?

Sobretudo que a geração mais jovem, as meninas que serão em breve mulheres, se possam acautelar, que não entrem em espirais de relações tumultuosas em nome do alegado amor. Minhas queridas amigas, quem ama não faz sofrer, quem ama quer para o outro tudo o que lhe faça feliz, deseja-lhe o mundo, as estrelas. Carrega no colo, ampara nas quedas e partilha os sucessos. Não se enganem, quem não nos respeita, não nos quer bem!

Em breve partilharei convosco pedacinhos de histórias, com elas espero elevar as nossas almas, valorizar-nos. Ser mulher é uma dádiva, proporciona-nos prazeres infinitos e tudo pela nossa imensa capacidade de dar.

vamos lá a gostar de nós primeiro e muitos risos!
Seg | 25.06.12

My book!

sueamado










Pronto, resolvi-me... é desta! Comecei a escrever sobre divórcios, relações complicadas, violência física e psicológica, mas caaaalma, não vai ser mais um daqueles livros tão pesados e mórbidos com o qual acabamos a perder a fé nos homens. Decidi que este vai ser, realista obviamente, até porque já tenho à minha volta demasiados casos, mas vai ter muito humor, risos diários, choros também e alguma incredulidade.

O que pretendo?

Sobretudo que a geração mais jovem, as meninas que serão em breve mulheres, se possam acautelar, que não entrem em espirais de relações tumultuosas em nome do alegado amor. Minhas queridas amigas, quem ama não faz sofrer, quem ama quer para o outro tudo o que lhe faça feliz, deseja-lhe o mundo, as estrelas. Carrega no colo, ampara nas quedas e partilha os sucessos. Não se enganem, quem não nos respeita, não nos quer bem!

Em breve partilharei convosco pedacinhos de histórias, com elas espero elevar as nossas almas, valorizar-nos. Ser mulher é uma dádiva, proporciona-nos prazeres infinitos e tudo pela nossa imensa capacidade de dar.

vamos lá a gostar de nós primeiro e muitos risos!
Seg | 25.06.12

My book!

sueamado










Pronto, resolvi-me... é desta! Comecei a escrever sobre divórcios, relações complicadas, violência física e psicológica, mas caaaalma, não vai ser mais um daqueles livros tão pesados e mórbidos com o qual acabamos a perder a fé nos homens. Decidi que este vai ser, realista obviamente, até porque já tenho à minha volta demasiados casos, mas vai ter muito humor, risos diários, choros também e alguma incredulidade.

O que pretendo?

Sobretudo que a geração mais jovem, as meninas que serão em breve mulheres, se possam acautelar, que não entrem em espirais de relações tumultuosas em nome do alegado amor. Minhas queridas amigas, quem ama não faz sofrer, quem ama quer para o outro tudo o que lhe faça feliz, deseja-lhe o mundo, as estrelas. Carrega no colo, ampara nas quedas e partilha os sucessos. Não se enganem, quem não nos respeita, não nos quer bem!

Em breve partilharei convosco pedacinhos de histórias, com elas espero elevar as nossas almas, valorizar-nos. Ser mulher é uma dádiva, proporciona-nos prazeres infinitos e tudo pela nossa imensa capacidade de dar.

vamos lá a gostar de nós primeiro e muitos risos!
Dom | 24.06.12

Tu, tal como eu!

sueamado

 
As mulheres já estão bem mais solidárias umas com as outras, é verdade, eu atesto. Julgo que nos começámos a rever em vez de criticar, afinal de contas sentimos e queremos basicamente as mesmas coisas, apenas diferimos nos meios. Eu como sempre achei que na outra encarnação terei sido homem, e planeio assim voltar na seguinte, sempre me considerei mais mente aberta, menos complicada e sempre que me gritam por ajuda, encontro uma solução.

A Rita está em processo de separação, loooongo, doloroso, com emoções ao rubro e com muito desamor, "What elese is new?" No entretanto tropeçou num homem lindo de morrer, com um olhar de fazer acordar estátuas e eis que entre os dois houve o click. Andavam ambos num desespero que dava dó, tocavam-se de mansinho em lugares públicos, trocavam mensagens ao segundo e não existia mais nenhum tema de conversa que se sobrepusesse a este e por consequência tomei uma decisão e propus o inesperado. - "Ok, vão lá para casa, empresto-vos a sala, proíbo os quartos, mas deixo-vos matar a fome. Caramba, até nós já começamos a desesperar com a vossa necessidade. Comam-se até se fartarem.

Num outro tempo e lugar da minha vida, teria sido totalmente contra, mas hoje acredito que devemos cuidar de nós, dar-nos alento, contornar o destino, para nos podermos manter vivos por dentro.Temos que aprender a relativizar, a não dar demasiada importância ao que não tem. Alguns pecados serão certamente permitidos se através deles nos mantivermos à tona de água. É fundamental que em momentos de turbulência alguém consiga ressaltar o melhor de nós, que nos consigam ver com olhos de desejo, amor, admiração. Teremos sempre imensas batalhas a travar, mas para que no final a guerra se vença, há que estarmos juntas, fortes,solidárias. Entendam-se e respeitem-se, somos afinal todas mulheres... "That´s the way it is". Oiçam a Celine Dion!
Dom | 24.06.12

Tu, tal como eu!

sueamado

 
As mulheres já estão bem mais solidárias umas com as outras, é verdade, eu atesto. Julgo que nos começámos a rever em vez de criticar, afinal de contas sentimos e queremos basicamente as mesmas coisas, apenas diferimos nos meios. Eu como sempre achei que na outra encarnação terei sido homem, e planeio assim voltar na seguinte, sempre me considerei mais mente aberta, menos complicada e sempre que me gritam por ajuda, encontro uma solução.

A Rita está em processo de separação, loooongo, doloroso, com emoções ao rubro e com muito desamor, "What elese is new?" No entretanto tropeçou num homem lindo de morrer, com um olhar de fazer acordar estátuas e eis que entre os dois houve o click. Andavam ambos num desespero que dava dó, tocavam-se de mansinho em lugares públicos, trocavam mensagens ao segundo e não existia mais nenhum tema de conversa que se sobrepusesse a este e por consequência tomei uma decisão e propus o inesperado. - "Ok, vão lá para casa, empresto-vos a sala, proíbo os quartos, mas deixo-vos matar a fome. Caramba, até nós já começamos a desesperar com a vossa necessidade. Comam-se até se fartarem.

Num outro tempo e lugar da minha vida, teria sido totalmente contra, mas hoje acredito que devemos cuidar de nós, dar-nos alento, contornar o destino, para nos podermos manter vivos por dentro.Temos que aprender a relativizar, a não dar demasiada importância ao que não tem. Alguns pecados serão certamente permitidos se através deles nos mantivermos à tona de água. É fundamental que em momentos de turbulência alguém consiga ressaltar o melhor de nós, que nos consigam ver com olhos de desejo, amor, admiração. Teremos sempre imensas batalhas a travar, mas para que no final a guerra se vença, há que estarmos juntas, fortes,solidárias. Entendam-se e respeitem-se, somos afinal todas mulheres... "That´s the way it is". Oiçam a Celine Dion!