Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Ter | 29.10.13

És tu, já percebi!

sueamado


Se dúvidas houvesse, certamente que a Andreia as teria perdido todas, logo ali, mal olhou e tocou o Paulo.

Marcaram, de fugida, um encontro para que se pudessem sentir, para que o respirar fosse mais próximo e profundo.

Assim que o seu sorriso se rasgou, Andreia soube que era ele, o seu toque que acompanhava agora a voz que a seguia e perseguia dia fora, era familiar, fazia-a vibrar, sentia-o bem dentro de si, e o prazer, caramba, o prazer de o ter tão perto era tudo o que poderia desejar, mesmo os pedacinhos de momentos, mínimos que nunca lhes iriam bastar, mesmo esses eram maravilhosos.

- Estás bem miúda?
- Contigo estou sempre bem.
- Quando é que te vou ter inteira?
- E se fosse agora?

E foi! Aconteceu, tiveram-se, amaram-se, ansiosos, desesperados. As duas horas pareceram pouco, seria sempre assim, mas pareceram dar a força que por vezes lhes queria fugir.

Relações, são sempre complicadas, penosas por vezes, mas sem elas estamos vazios, os dias caminham, não correm, não se vive, sobrevive-se. Se amar é isto, querer demasiado e recear, recear sempre o que não se entende ou desconhece, então que se ame, mil vezes, do que ficarmos vazios por dentro. Isso sim é morrer devagarinho!
Ter | 29.10.13

És tu, já percebi!

sueamado


Se dúvidas houvesse, certamente que a Andreia as teria perdido todas, logo ali, mal olhou e tocou o Paulo.

Marcaram, de fugida, um encontro para que se pudessem sentir, para que o respirar fosse mais próximo e profundo.

Assim que o seu sorriso se rasgou, Andreia soube que era ele, o seu toque que acompanhava agora a voz que a seguia e perseguia dia fora, era familiar, fazia-a vibrar, sentia-o bem dentro de si, e o prazer, caramba, o prazer de o ter tão perto era tudo o que poderia desejar, mesmo os pedacinhos de momentos, mínimos que nunca lhes iriam bastar, mesmo esses eram maravilhosos.

- Estás bem miúda?
- Contigo estou sempre bem.
- Quando é que te vou ter inteira?
- E se fosse agora?

E foi! Aconteceu, tiveram-se, amaram-se, ansiosos, desesperados. As duas horas pareceram pouco, seria sempre assim, mas pareceram dar a força que por vezes lhes queria fugir.

Relações, são sempre complicadas, penosas por vezes, mas sem elas estamos vazios, os dias caminham, não correm, não se vive, sobrevive-se. Se amar é isto, querer demasiado e recear, recear sempre o que não se entende ou desconhece, então que se ame, mil vezes, do que ficarmos vazios por dentro. Isso sim é morrer devagarinho!
Ter | 29.10.13

És tu, já percebi!

sueamado


Se dúvidas houvesse, certamente que a Andreia as teria perdido todas, logo ali, mal olhou e tocou o Paulo.

Marcaram, de fugida, um encontro para que se pudessem sentir, para que o respirar fosse mais próximo e profundo.

Assim que o seu sorriso se rasgou, Andreia soube que era ele, o seu toque que acompanhava agora a voz que a seguia e perseguia dia fora, era familiar, fazia-a vibrar, sentia-o bem dentro de si, e o prazer, caramba, o prazer de o ter tão perto era tudo o que poderia desejar, mesmo os pedacinhos de momentos, mínimos que nunca lhes iriam bastar, mesmo esses eram maravilhosos.

- Estás bem miúda?
- Contigo estou sempre bem.
- Quando é que te vou ter inteira?
- E se fosse agora?

E foi! Aconteceu, tiveram-se, amaram-se, ansiosos, desesperados. As duas horas pareceram pouco, seria sempre assim, mas pareceram dar a força que por vezes lhes queria fugir.

Relações, são sempre complicadas, penosas por vezes, mas sem elas estamos vazios, os dias caminham, não correm, não se vive, sobrevive-se. Se amar é isto, querer demasiado e recear, recear sempre o que não se entende ou desconhece, então que se ame, mil vezes, do que ficarmos vazios por dentro. Isso sim é morrer devagarinho!
Ter | 29.10.13

És tu, já percebi!

sueamado


Se dúvidas houvesse, certamente que a Andreia as teria perdido todas, logo ali, mal olhou e tocou o Paulo.

Marcaram, de fugida, um encontro para que se pudessem sentir, para que o respirar fosse mais próximo e profundo.

Assim que o seu sorriso se rasgou, Andreia soube que era ele, o seu toque que acompanhava agora a voz que a seguia e perseguia dia fora, era familiar, fazia-a vibrar, sentia-o bem dentro de si, e o prazer, caramba, o prazer de o ter tão perto era tudo o que poderia desejar, mesmo os pedacinhos de momentos, mínimos que nunca lhes iriam bastar, mesmo esses eram maravilhosos.

- Estás bem miúda?
- Contigo estou sempre bem.
- Quando é que te vou ter inteira?
- E se fosse agora?

E foi! Aconteceu, tiveram-se, amaram-se, ansiosos, desesperados. As duas horas pareceram pouco, seria sempre assim, mas pareceram dar a força que por vezes lhes queria fugir.

Relações, são sempre complicadas, penosas por vezes, mas sem elas estamos vazios, os dias caminham, não correm, não se vive, sobrevive-se. Se amar é isto, querer demasiado e recear, recear sempre o que não se entende ou desconhece, então que se ame, mil vezes, do que ficarmos vazios por dentro. Isso sim é morrer devagarinho!
Ter | 29.10.13

És tu, já percebi!

sueamado


Se dúvidas houvesse, certamente que a Andreia as teria perdido todas, logo ali, mal olhou e tocou o Paulo.

Marcaram, de fugida, um encontro para que se pudessem sentir, para que o respirar fosse mais próximo e profundo.

Assim que o seu sorriso se rasgou, Andreia soube que era ele, o seu toque que acompanhava agora a voz que a seguia e perseguia dia fora, era familiar, fazia-a vibrar, sentia-o bem dentro de si, e o prazer, caramba, o prazer de o ter tão perto era tudo o que poderia desejar, mesmo os pedacinhos de momentos, mínimos que nunca lhes iriam bastar, mesmo esses eram maravilhosos.

- Estás bem miúda?
- Contigo estou sempre bem.
- Quando é que te vou ter inteira?
- E se fosse agora?

E foi! Aconteceu, tiveram-se, amaram-se, ansiosos, desesperados. As duas horas pareceram pouco, seria sempre assim, mas pareceram dar a força que por vezes lhes queria fugir.

Relações, são sempre complicadas, penosas por vezes, mas sem elas estamos vazios, os dias caminham, não correm, não se vive, sobrevive-se. Se amar é isto, querer demasiado e recear, recear sempre o que não se entende ou desconhece, então que se ame, mil vezes, do que ficarmos vazios por dentro. Isso sim é morrer devagarinho!
Ter | 29.10.13

Não sabia então...

sueamado
Mas espero e preciso estar certa, de que entraste, nessa altura, num passado que já vejo algo nublado, distante, para que eu fosse quem sou agora!



Passei demasiados anos a tentar perceber porque te senti assim, de forma tão intensa, porque razão terminaste com os meus dias de segurança, porque, e de repente, apenas tu povoavas o meu espaço, tudo girava ao teu redor, e nada do que eu sentira antes importava mais.

Como pode alguém, surgir, do nada, e fazer-nos entender que afinal contamos, somos importantes, e podemos e devemos querer mais, de tudo o que temos, sentimos e sonhámos?

Não sabia então, mas agora posso agradecer-te, porque me trouxeste de volta, acordaste-me de um longo sono, mostrando-me e ao mundo quem sou.

Doeu por dentro não te ter tido, acabei até a questionar porque não chegaria até a ti, mas hoje, hoje sei que tive apenas o que era suposto, e que afinal apenas vieras para me abrir a mente, os caminhos e isso basta-me, acalma-me, entendo e aceito...


Ter | 29.10.13

Não sabia então...

sueamado
Mas espero e preciso estar certa, de que entraste, nessa altura, num passado que já vejo algo nublado, distante, para que eu fosse quem sou agora!



Passei demasiados anos a tentar perceber porque te senti assim, de forma tão intensa, porque razão terminaste com os meus dias de segurança, porque, e de repente, apenas tu povoavas o meu espaço, tudo girava ao teu redor, e nada do que eu sentira antes importava mais.

Como pode alguém, surgir, do nada, e fazer-nos entender que afinal contamos, somos importantes, e podemos e devemos querer mais, de tudo o que temos, sentimos e sonhámos?

Não sabia então, mas agora posso agradecer-te, porque me trouxeste de volta, acordaste-me de um longo sono, mostrando-me e ao mundo quem sou.

Doeu por dentro não te ter tido, acabei até a questionar porque não chegaria até a ti, mas hoje, hoje sei que tive apenas o que era suposto, e que afinal apenas vieras para me abrir a mente, os caminhos e isso basta-me, acalma-me, entendo e aceito...


Ter | 29.10.13

Não sabia então...

sueamado
Mas espero e preciso estar certa, de que entraste, nessa altura, num passado que já vejo algo nublado, distante, para que eu fosse quem sou agora!



Passei demasiados anos a tentar perceber porque te senti assim, de forma tão intensa, porque razão terminaste com os meus dias de segurança, porque, e de repente, apenas tu povoavas o meu espaço, tudo girava ao teu redor, e nada do que eu sentira antes importava mais.

Como pode alguém, surgir, do nada, e fazer-nos entender que afinal contamos, somos importantes, e podemos e devemos querer mais, de tudo o que temos, sentimos e sonhámos?

Não sabia então, mas agora posso agradecer-te, porque me trouxeste de volta, acordaste-me de um longo sono, mostrando-me e ao mundo quem sou.

Doeu por dentro não te ter tido, acabei até a questionar porque não chegaria até a ti, mas hoje, hoje sei que tive apenas o que era suposto, e que afinal apenas vieras para me abrir a mente, os caminhos e isso basta-me, acalma-me, entendo e aceito...


Dom | 27.10.13

Coração dividido...

sueamado

Ele é grande, um dos maiores orgãos, e consegue dividir-se, multiplicar-se, estar aqui e ali, para quando e quem dele necessitar!

Quem nos ama, quem conseguimos amar de volta, por cuidado, por carne, sangue, toque, terá o coração, o nosso coração, sempre. O meu sei que funciona assim, que o consigo insuflar, fazer crescer, tanto, que me permita chegar a todos os que "gritam" por ele, por mim, pela minha atenção.

Por vezes quase que o sinto rebentar de tanto que dá e ainda vai conseguindo receber, há dias em que se cansa, em que lhe apetece parar, deixar de bombear, sangue, amor, vida, e apenas sossegar, adormecer para conseguir acordar renovado...

Tenho sempre o coração dividido em 3, porque 3 são os meus filhos, mas cabem sempre mais, todos quantos me consigam permiti-lo continuar a bater!
Dom | 27.10.13

Coração dividido...

sueamado

Ele é grande, um dos maiores orgãos, e consegue dividir-se, multiplicar-se, estar aqui e ali, para quando e quem dele necessitar!

Quem nos ama, quem conseguimos amar de volta, por cuidado, por carne, sangue, toque, terá o coração, o nosso coração, sempre. O meu sei que funciona assim, que o consigo insuflar, fazer crescer, tanto, que me permita chegar a todos os que "gritam" por ele, por mim, pela minha atenção.

Por vezes quase que o sinto rebentar de tanto que dá e ainda vai conseguindo receber, há dias em que se cansa, em que lhe apetece parar, deixar de bombear, sangue, amor, vida, e apenas sossegar, adormecer para conseguir acordar renovado...

Tenho sempre o coração dividido em 3, porque 3 são os meus filhos, mas cabem sempre mais, todos quantos me consigam permiti-lo continuar a bater!