Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Sab | 27.09.14

Quando se entende!

sueamado


Feelme/Quando se entende!Tema:Relações!
Imagem retirada da internet

Decidi que quero conhecer quem me conheça e que preciso de uma identidade que inclua a outra metade de mim!

Cansei-me de achar que me basto, que sou tãoooo forte que me sobreviverei, porque me sabe bem ter-te agora, depois de ter sonhado tantas vezes. O nosso percurso ainda vai no início, mas sinto, tal como tu, que só pode dar certo, porque o desejamos, porque nos sentimos,  porque nos reconhecemos.

Já estive lá, no lugar confortável em que o que eu dizia encaixava no que o outro pensava, em que os meus planos eram partilhados e os sonhos sonhados a dois, antecipando a vida que desejávamos ambos. Já soube o que significava não me preocupar demasiado com os outros, com a forma como me olhariam, porque apenas um olhar me fazia e deixava bem, por isso, e já tendo provado o mel, quero repetir, agora contigo, retomando o que parámos de perseguir, deixando de ter medo.

A vida é mesmo feita de ciclos, de períodos que apenas farão sentido quando chegarmos lá. Eu sei que a estação do ano mudou, que a nostalgia até se instala com os dias mais curtos, mas agora quero ter o mesmo espaço, partilhá-lo em pleno, amar e ser amada de volta sem medo de parecer piegas, experimentar o que apenas imaginei, mas contigo, deixando que me leves ao céu e me tragas de volta.

Quero visualizar o meu futuro contigo, saber que estarás aqui, lá, em todos os flancos, a protegeres-me do mundo, abraçando-me para me restaurares a força que prometo que sempre terei se te tiver.

Não sinto nem dou o tempo por perdido, porque se chegaste agora, significa que não nos precisámos antes. Mesmo que tenha que ouvir de ti muitas palavras que se encaixarão em todas quantas derramei sobre ti, a cada dia preciso de menos passado. Nunca me deixei amargurar, nunca chorei de raiva, nunca te amaldiçoei, esperei, por vezes com algum desespero na alma, mas esperei sempre que viesses e me chamasses, eu sabia-o, sentia-o e nunca acreditei que estivesse louca ou sequer senil.

Ainda me vais ouvir dizer, muitas vezes, que és quem preciso e que tudo a que tens direito te será dado, eu sei-o já porque me vou assegurar que aconteça, porque gostar de ti é o que sei fazer melhor!
Sab | 27.09.14

Quando se entende!

sueamado


Feelme/Quando se entende!Tema:Relações!
Imagem retirada da internet

Decidi que quero conhecer quem me conheça e que preciso de uma identidade que inclua a outra metade de mim!

Cansei-me de achar que me basto, que sou tãoooo forte que me sobreviverei, porque me sabe bem ter-te agora, depois de ter sonhado tantas vezes. O nosso percurso ainda vai no início, mas sinto, tal como tu, que só pode dar certo, porque o desejamos, porque nos sentimos,  porque nos reconhecemos.

Já estive lá, no lugar confortável em que o que eu dizia encaixava no que o outro pensava, em que os meus planos eram partilhados e os sonhos sonhados a dois, antecipando a vida que desejávamos ambos. Já soube o que significava não me preocupar demasiado com os outros, com a forma como me olhariam, porque apenas um olhar me fazia e deixava bem, por isso, e já tendo provado o mel, quero repetir, agora contigo, retomando o que parámos de perseguir, deixando de ter medo.

A vida é mesmo feita de ciclos, de períodos que apenas farão sentido quando chegarmos lá. Eu sei que a estação do ano mudou, que a nostalgia até se instala com os dias mais curtos, mas agora quero ter o mesmo espaço, partilhá-lo em pleno, amar e ser amada de volta sem medo de parecer piegas, experimentar o que apenas imaginei, mas contigo, deixando que me leves ao céu e me tragas de volta.

Quero visualizar o meu futuro contigo, saber que estarás aqui, lá, em todos os flancos, a protegeres-me do mundo, abraçando-me para me restaurares a força que prometo que sempre terei se te tiver.

Não sinto nem dou o tempo por perdido, porque se chegaste agora, significa que não nos precisámos antes. Mesmo que tenha que ouvir de ti muitas palavras que se encaixarão em todas quantas derramei sobre ti, a cada dia preciso de menos passado. Nunca me deixei amargurar, nunca chorei de raiva, nunca te amaldiçoei, esperei, por vezes com algum desespero na alma, mas esperei sempre que viesses e me chamasses, eu sabia-o, sentia-o e nunca acreditei que estivesse louca ou sequer senil.

Ainda me vais ouvir dizer, muitas vezes, que és quem preciso e que tudo a que tens direito te será dado, eu sei-o já porque me vou assegurar que aconteça, porque gostar de ti é o que sei fazer melhor!
Sex | 26.09.14

Tempos!

sueamado
Ou timings, ou a procura do ajuste entre duas vidas e mais pessoas!



As novas relações, as que começaram de finais de outras tantas, estão vetadas ao insucesso logo à partida, se analisarmos as dificuldades que emergem perante a "loucura" em que se transformam os dias de quem quer viver a dobrar, ou a triplicar, ou...

Temos filhos, empregos, moradas diferentes, exigências emocionais e físicas, que nos testam até ao limite.

- Se não vens é porque não me sentes a falta. - Nada mais errado, para quem tem que correr, galgar horas e percursos, cuidar de si e dos seus, para poder ter pedaços de todos os momentos que eventualmente mudarão o casal, ou os afastarão para sempre.

Nós, as mulheres, sofremos do síndrome da "impreparação" (acabei de inventar outra palavra), mas a verdade é que temos que estar certas de que tudo se encontra no lugar, que os cabelos estão  soltos e cheirosos, que a depilação (outro pesadelo para a maioria, eu felizmente fui bafejada pela sorte) foi atempadamente concluída, que o banho se pôde prolongar, usando os "milhões" de cremes que passamos, qual torradas em manteiga, para estarmos sedosas, saborosas e todas as osas mais que vos ocorrer. IR por si só, é tudo menos fácil, a não ser que queiram testar a vossa capacidade de usar expressões dramáticas perante o susto de morte.

- Se não vou mais vezes, meu querido, é porque Deus me fez gaja, com montanhas de imperfeições que me forçam a corrigir para ficar longe da imagem de um primata, primo longínquo, ou nem tanto. Se não arranjo forma de gerir 2 casas, os meus filhos e os teus, os ex de ambos que nos enlouquecem ao ponto de os imaginarmos juntos, no mesmo espaço, qual filme de terror, as doenças súbitas, as compras, os telefonemas de última hora de uma mãe habituada a monopolizar, porque já que a filha não tem homem, imagina ela, decide"aproveitar" e vencê-la pelo cansaço, cuspindo conselhos inúteis e observações descontextualizadas. Aiii se ela soubesse...

- Então podíamos mudar e ter apenas uma casa?

PORRA!!! Mas então não me chegou uma vez (no meu caso claro, porque há quem já vá na terceira)? NÃO, prefiro a depilação brasileira no intervalo do almoço, que obriga a Rita a arrancar mais do que o planeado, e o banho menos demorado, mas igualmente bem sucedido. Eu corro, se for preciso, tomo uns quantos comprimidos para as dores de cabeça, barriga, alma e sei lá mais o quê, mas vou indo e voltando até que o coração e a paciência aguentem, mesmo não sendo fácil, E NÃO É MESMO!

Se me pudesses ver a 300 à hora, num dos dias que fosse, nunca mais dirias que não vou porque não te sinto a falta. Fiquei cansada só de me imaginar e no final de tudo, que será o teu princípio, ainda esperas que te foda como uma mulher determinada e experiente, e que faça amor como a mulher que desejas ter apenas para ti. Que te fale de forma doce e branda, sem abordar assuntos chatos, que te beije até ficarmos ambos sem fôlego e que domine todas as posições do Kama Sutra, terminando bela e fresca. Se eu não fosse educada, largava agora uma asneira das grossas e desatava a fugir para o lado oposto, mas pronto, quem me mandou a mim querer ser feliz e recomeçar? Agora ajustes exigem-se e quem sabe com a experiência, os tempos, os timings, não se encaixam!
Sex | 26.09.14

Tempos!

sueamado
Ou timings, ou a procura do ajuste entre duas vidas e mais pessoas!



As novas relações, as que começaram de finais de outras tantas, estão vetadas ao insucesso logo à partida, se analisarmos as dificuldades que emergem perante a "loucura" em que se transformam os dias de quem quer viver a dobrar, ou a triplicar, ou...

Temos filhos, empregos, moradas diferentes, exigências emocionais e físicas, que nos testam até ao limite.

- Se não vens é porque não me sentes a falta. - Nada mais errado, para quem tem que correr, galgar horas e percursos, cuidar de si e dos seus, para poder ter pedaços de todos os momentos que eventualmente mudarão o casal, ou os afastarão para sempre.

Nós, as mulheres, sofremos do síndrome da "impreparação" (acabei de inventar outra palavra), mas a verdade é que temos que estar certas de que tudo se encontra no lugar, que os cabelos estão  soltos e cheirosos, que a depilação (outro pesadelo para a maioria, eu felizmente fui bafejada pela sorte) foi atempadamente concluída, que o banho se pôde prolongar, usando os "milhões" de cremes que passamos, qual torradas em manteiga, para estarmos sedosas, saborosas e todas as osas mais que vos ocorrer. IR por si só, é tudo menos fácil, a não ser que queiram testar a vossa capacidade de usar expressões dramáticas perante o susto de morte.

- Se não vou mais vezes, meu querido, é porque Deus me fez gaja, com montanhas de imperfeições que me forçam a corrigir para ficar longe da imagem de um primata, primo longínquo, ou nem tanto. Se não arranjo forma de gerir 2 casas, os meus filhos e os teus, os ex de ambos que nos enlouquecem ao ponto de os imaginarmos juntos, no mesmo espaço, qual filme de terror, as doenças súbitas, as compras, os telefonemas de última hora de uma mãe habituada a monopolizar, porque já que a filha não tem homem, imagina ela, decide"aproveitar" e vencê-la pelo cansaço, cuspindo conselhos inúteis e observações descontextualizadas. Aiii se ela soubesse...

- Então podíamos mudar e ter apenas uma casa?

PORRA!!! Mas então não me chegou uma vez (no meu caso claro, porque há quem já vá na terceira)? NÃO, prefiro a depilação brasileira no intervalo do almoço, que obriga a Rita a arrancar mais do que o planeado, e o banho menos demorado, mas igualmente bem sucedido. Eu corro, se for preciso, tomo uns quantos comprimidos para as dores de cabeça, barriga, alma e sei lá mais o quê, mas vou indo e voltando até que o coração e a paciência aguentem, mesmo não sendo fácil, E NÃO É MESMO!

Se me pudesses ver a 300 à hora, num dos dias que fosse, nunca mais dirias que não vou porque não te sinto a falta. Fiquei cansada só de me imaginar e no final de tudo, que será o teu princípio, ainda esperas que te foda como uma mulher determinada e experiente, e que faça amor como a mulher que desejas ter apenas para ti. Que te fale de forma doce e branda, sem abordar assuntos chatos, que te beije até ficarmos ambos sem fôlego e que domine todas as posições do Kama Sutra, terminando bela e fresca. Se eu não fosse educada, largava agora uma asneira das grossas e desatava a fugir para o lado oposto, mas pronto, quem me mandou a mim querer ser feliz e recomeçar? Agora ajustes exigem-se e quem sabe com a experiência, os tempos, os timings, não se encaixam!
Sex | 26.09.14

Tempos!

sueamado
Ou timings, ou a procura do ajuste entre duas vidas e mais pessoas!



As novas relações, as que começaram de finais de outras tantas, estão vetadas ao insucesso logo à partida, se analisarmos as dificuldades que emergem perante a "loucura" em que se transformam os dias de quem quer viver a dobrar, ou a triplicar, ou...

Temos filhos, empregos, moradas diferentes, exigências emocionais e físicas, que nos testam até ao limite.

- Se não vens é porque não me sentes a falta. - Nada mais errado, para quem tem que correr, galgar horas e percursos, cuidar de si e dos seus, para poder ter pedaços de todos os momentos que eventualmente mudarão o casal, ou os afastarão para sempre.

Nós, as mulheres, sofremos do síndrome da "impreparação" (acabei de inventar outra palavra), mas a verdade é que temos que estar certas de que tudo se encontra no lugar, que os cabelos estão  soltos e cheirosos, que a depilação (outro pesadelo para a maioria, eu felizmente fui bafejada pela sorte) foi atempadamente concluída, que o banho se pôde prolongar, usando os "milhões" de cremes que passamos, qual torradas em manteiga, para estarmos sedosas, saborosas e todas as osas mais que vos ocorrer. IR por si só, é tudo menos fácil, a não ser que queiram testar a vossa capacidade de usar expressões dramáticas perante o susto de morte.

- Se não vou mais vezes, meu querido, é porque Deus me fez gaja, com montanhas de imperfeições que me forçam a corrigir para ficar longe da imagem de um primata, primo longínquo, ou nem tanto. Se não arranjo forma de gerir 2 casas, os meus filhos e os teus, os ex de ambos que nos enlouquecem ao ponto de os imaginarmos juntos, no mesmo espaço, qual filme de terror, as doenças súbitas, as compras, os telefonemas de última hora de uma mãe habituada a monopolizar, porque já que a filha não tem homem, imagina ela, decide"aproveitar" e vencê-la pelo cansaço, cuspindo conselhos inúteis e observações descontextualizadas. Aiii se ela soubesse...

- Então podíamos mudar e ter apenas uma casa?

PORRA!!! Mas então não me chegou uma vez (no meu caso claro, porque há quem já vá na terceira)? NÃO, prefiro a depilação brasileira no intervalo do almoço, que obriga a Rita a arrancar mais do que o planeado, e o banho menos demorado, mas igualmente bem sucedido. Eu corro, se for preciso, tomo uns quantos comprimidos para as dores de cabeça, barriga, alma e sei lá mais o quê, mas vou indo e voltando até que o coração e a paciência aguentem, mesmo não sendo fácil, E NÃO É MESMO!

Se me pudesses ver a 300 à hora, num dos dias que fosse, nunca mais dirias que não vou porque não te sinto a falta. Fiquei cansada só de me imaginar e no final de tudo, que será o teu princípio, ainda esperas que te foda como uma mulher determinada e experiente, e que faça amor como a mulher que desejas ter apenas para ti. Que te fale de forma doce e branda, sem abordar assuntos chatos, que te beije até ficarmos ambos sem fôlego e que domine todas as posições do Kama Sutra, terminando bela e fresca. Se eu não fosse educada, largava agora uma asneira das grossas e desatava a fugir para o lado oposto, mas pronto, quem me mandou a mim querer ser feliz e recomeçar? Agora ajustes exigem-se e quem sabe com a experiência, os tempos, os timings, não se encaixam!
Qui | 25.09.14

Sequelas!

sueamado

Ficam sempre algumas quando nos atrevemos a ser mais felizes!



A nossa relação começara na adolescência, cresceramos juntos, fisica e emocionalmente, aprendendo a saber do que precisava cada um e seguindo o caminho que traçáramos para ambos.

De nós vieram dois filhos, com eles e por eles olhámos para o lado, fingindo não ver que nos afastávamos e que eu precisava de muito mais, não porque não o desses, mas porque deixaras de ser tu, porque a mulher que eu conhecera e transformara, colando-a a mim, simplesmente já não me enchia a alma de desejo nem o coração das emoções que tiveramos tantas vezes e que tão bem conhecíamos.

A minha vida profissional era intensa, viajava imenso, e em cada lugar, antecipava a mulher que entraria para me agitar por dentro, para me dar sal à vida, para me mostrar que estava vivo e que ainda era capaz de provocar em alguém desejo, arrepios no corpo que exploraria e que tocaria como já tocara o teu, descobrindo cada pedaço, conhecendo cada dobra, cheirando e saboreando até que se implantasse em mim.

Sentia falta da emoção que nos assola de cada vez que vemos quem amamos, e não digo que tivesse deixado de te amar, mas deixara de te ver no meu futuro, de mãos dadas, a não precisarmos sequer de falar por nos conhecermos por dentro e por isso atrevi-me a ser feliz e corri atrás dela.

Não se revelou a mulher que precisava, não sei sequer se existe, mas desmembrou um pouco mais a nossa já frágil relação. Conseguimos sobreviver, continuamos juntos, por nós e pelo mundo que adormece cada noite mais tranquilo, enquanto eu vou acordando com suores frios, com um arrepio que me gela por dentro, que me acrescenta um medo real, vivo e fantasmagórico de ter perdido a oportunidade de me libertar do que já não me completa.

Arrisquei a minha felicidade quando a tive, mas regressei à segurança enganadora, à falsa sensação de estabilidade, quando te aceitei de volta. Provávelmente acabaremos juntos, estaremos no futuro um do outro sim, mas o preço que pagaremos ambos será tão elevado que nem em três vidas o conseguiremos amortizar. 

Para onde fugiu a minha coragem, o que restou de mim afinal?

Qui | 25.09.14

Sequelas!

sueamado

Ficam sempre algumas quando nos atrevemos a ser mais felizes!



A nossa relação começara na adolescência, cresceramos juntos, fisica e emocionalmente, aprendendo a saber do que precisava cada um e seguindo o caminho que traçáramos para ambos.

De nós vieram dois filhos, com eles e por eles olhámos para o lado, fingindo não ver que nos afastávamos e que eu precisava de muito mais, não porque não o desses, mas porque deixaras de ser tu, porque a mulher que eu conhecera e transformara, colando-a a mim, simplesmente já não me enchia a alma de desejo nem o coração das emoções que tiveramos tantas vezes e que tão bem conhecíamos.

A minha vida profissional era intensa, viajava imenso, e em cada lugar, antecipava a mulher que entraria para me agitar por dentro, para me dar sal à vida, para me mostrar que estava vivo e que ainda era capaz de provocar em alguém desejo, arrepios no corpo que exploraria e que tocaria como já tocara o teu, descobrindo cada pedaço, conhecendo cada dobra, cheirando e saboreando até que se implantasse em mim.

Sentia falta da emoção que nos assola de cada vez que vemos quem amamos, e não digo que tivesse deixado de te amar, mas deixara de te ver no meu futuro, de mãos dadas, a não precisarmos sequer de falar por nos conhecermos por dentro e por isso atrevi-me a ser feliz e corri atrás dela.

Não se revelou a mulher que precisava, não sei sequer se existe, mas desmembrou um pouco mais a nossa já frágil relação. Conseguimos sobreviver, continuamos juntos, por nós e pelo mundo que adormece cada noite mais tranquilo, enquanto eu vou acordando com suores frios, com um arrepio que me gela por dentro, que me acrescenta um medo real, vivo e fantasmagórico de ter perdido a oportunidade de me libertar do que já não me completa.

Arrisquei a minha felicidade quando a tive, mas regressei à segurança enganadora, à falsa sensação de estabilidade, quando te aceitei de volta. Provávelmente acabaremos juntos, estaremos no futuro um do outro sim, mas o preço que pagaremos ambos será tão elevado que nem em três vidas o conseguiremos amortizar. 

Para onde fugiu a minha coragem, o que restou de mim afinal?

Qui | 25.09.14

Sequelas!

sueamado

Ficam sempre algumas quando nos atrevemos a ser mais felizes!



A nossa relação começara na adolescência, cresceramos juntos, fisica e emocionalmente, aprendendo a saber do que precisava cada um e seguindo o caminho que traçáramos para ambos.

De nós vieram dois filhos, com eles e por eles olhámos para o lado, fingindo não ver que nos afastávamos e que eu precisava de muito mais, não porque não o desses, mas porque deixaras de ser tu, porque a mulher que eu conhecera e transformara, colando-a a mim, simplesmente já não me enchia a alma de desejo nem o coração das emoções que tiveramos tantas vezes e que tão bem conhecíamos.

A minha vida profissional era intensa, viajava imenso, e em cada lugar, antecipava a mulher que entraria para me agitar por dentro, para me dar sal à vida, para me mostrar que estava vivo e que ainda era capaz de provocar em alguém desejo, arrepios no corpo que exploraria e que tocaria como já tocara o teu, descobrindo cada pedaço, conhecendo cada dobra, cheirando e saboreando até que se implantasse em mim.

Sentia falta da emoção que nos assola de cada vez que vemos quem amamos, e não digo que tivesse deixado de te amar, mas deixara de te ver no meu futuro, de mãos dadas, a não precisarmos sequer de falar por nos conhecermos por dentro e por isso atrevi-me a ser feliz e corri atrás dela.

Não se revelou a mulher que precisava, não sei sequer se existe, mas desmembrou um pouco mais a nossa já frágil relação. Conseguimos sobreviver, continuamos juntos, por nós e pelo mundo que adormece cada noite mais tranquilo, enquanto eu vou acordando com suores frios, com um arrepio que me gela por dentro, que me acrescenta um medo real, vivo e fantasmagórico de ter perdido a oportunidade de me libertar do que já não me completa.

Arrisquei a minha felicidade quando a tive, mas regressei à segurança enganadora, à falsa sensação de estabilidade, quando te aceitei de volta. Provávelmente acabaremos juntos, estaremos no futuro um do outro sim, mas o preço que pagaremos ambos será tão elevado que nem em três vidas o conseguiremos amortizar. 

Para onde fugiu a minha coragem, o que restou de mim afinal?

Qui | 25.09.14

Se nunca mais te sentir...

sueamado


Temos falado, mais do que o habitual, tu porque me tentas manter por perto, porque como dizes, te alimentas de mim e respiras do meu ar. Eu porque me sabe bem ser gostada e desejada por ti, sabe-me bem ouvir-te partilhar os teus dias que certamente me incluiriam inteira se eu o permitisse.

Fico algo incomodada, sem saber muito bem como reagir, quando e sempre que me olhas de forma tão intensa que pareces conseguir ler os meus pensamentos. Nós temos a chamada relação improvável, gostamo-nos, fazemo-nos bem, sentimos de igual forma, reconhecemos que o nosso espaço e tempo são demasiado preciosos para que qualquer um de nós dois não esteja por perto.

Não é a ti que amo, não da forma que esperas e desejas, mas tenho-te um carinho que ultrapassa o compreensível, tenho-te um amor só meu, que apenas eu entendo e que desisti de explicar, sobretudo a ti com quem já tive corpo, beijos que me envolveram e quase me fizeram acreditar que poderia ser...

Sou empenhada, sou determinada, em te manter, em nunca deixar de te mostrar que já estás na minha vida para ficar. Sei que o estarei até quando permitires que outra mulher te arrebate esse coração cheio e inteiro que possuis e no qual falho em me envolver.

Não sei como irei viver depois, como te tirarei de mim, como conseguirei rir sem as tuas gargalhadas limpas e fortes, sem a boca que sempre encontra forma de me por para cima, para realçar o melhor de mim. Se nunca mais te sentir, respirar irá tornar-se bem mais difícil, os dias estender-se-ão e eu passarei a sobreviver, já o sei, porque o sonhei, porque me arrepiei perante a ideia de nunca mais ser a mulher que te mudou por dentro e que trouxe até mim o homem mais completo e inteiro que a fortuna me bafejou.

Ohhh coração empedernido, acorda por favor e ama de volta quem fará de mim a mulher que até já sei que existe, enquanto há tempo!
Qui | 25.09.14

Se nunca mais te sentir...

sueamado


Temos falado, mais do que o habitual, tu porque me tentas manter por perto, porque como dizes, te alimentas de mim e respiras do meu ar. Eu porque me sabe bem ser gostada e desejada por ti, sabe-me bem ouvir-te partilhar os teus dias que certamente me incluiriam inteira se eu o permitisse.

Fico algo incomodada, sem saber muito bem como reagir, quando e sempre que me olhas de forma tão intensa que pareces conseguir ler os meus pensamentos. Nós temos a chamada relação improvável, gostamo-nos, fazemo-nos bem, sentimos de igual forma, reconhecemos que o nosso espaço e tempo são demasiado preciosos para que qualquer um de nós dois não esteja por perto.

Não é a ti que amo, não da forma que esperas e desejas, mas tenho-te um carinho que ultrapassa o compreensível, tenho-te um amor só meu, que apenas eu entendo e que desisti de explicar, sobretudo a ti com quem já tive corpo, beijos que me envolveram e quase me fizeram acreditar que poderia ser...

Sou empenhada, sou determinada, em te manter, em nunca deixar de te mostrar que já estás na minha vida para ficar. Sei que o estarei até quando permitires que outra mulher te arrebate esse coração cheio e inteiro que possuis e no qual falho em me envolver.

Não sei como irei viver depois, como te tirarei de mim, como conseguirei rir sem as tuas gargalhadas limpas e fortes, sem a boca que sempre encontra forma de me por para cima, para realçar o melhor de mim. Se nunca mais te sentir, respirar irá tornar-se bem mais difícil, os dias estender-se-ão e eu passarei a sobreviver, já o sei, porque o sonhei, porque me arrepiei perante a ideia de nunca mais ser a mulher que te mudou por dentro e que trouxe até mim o homem mais completo e inteiro que a fortuna me bafejou.

Ohhh coração empedernido, acorda por favor e ama de volta quem fará de mim a mulher que até já sei que existe, enquanto há tempo!