Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Qua | 01.10.14

Se me deixares...

sueamado


Prometo que tento, que não complico, que deixo correr!

Sim, já entendi, não controlo nada, nem mesmo o que sinto e por isso não adianta, não tenho porque meter outra mudança, a minha vida, a nossa, não vai seguir mais veloz por isso.

Parar de avaliar, de querer entender, de te querer ler. Parar de achar que tudo o que dizes, ou decides calar, terá uma razão de peso, porque a tua ligeireza de sentimentos, o facto de me veres tão natural na tua vida, tranquiliza-te como deveria estar também eu,

Se me deixares, eu começo do início, refraseio tudo o que derramei até aqui e espero, tranquila, que me digas como se faz.

Sinto-te a sorrir, a duvidar do que te ofereço, talvez porque já estejas uns degraus acima, talvez porque a minha velocidade de pensamento, a forma como quero sempre tudo de forma intensa, no fundo seja o que te deixa vivo, a sentir que valho a pena.

Vou prometer que te deixarei, livre, para seres o que já vi antes e gostei, tanto, que ainda aqui estou!
Qua | 01.10.14

Se me deixares...

sueamado


Prometo que tento, que não complico, que deixo correr!

Sim, já entendi, não controlo nada, nem mesmo o que sinto e por isso não adianta, não tenho porque meter outra mudança, a minha vida, a nossa, não vai seguir mais veloz por isso.

Parar de avaliar, de querer entender, de te querer ler. Parar de achar que tudo o que dizes, ou decides calar, terá uma razão de peso, porque a tua ligeireza de sentimentos, o facto de me veres tão natural na tua vida, tranquiliza-te como deveria estar também eu,

Se me deixares, eu começo do início, refraseio tudo o que derramei até aqui e espero, tranquila, que me digas como se faz.

Sinto-te a sorrir, a duvidar do que te ofereço, talvez porque já estejas uns degraus acima, talvez porque a minha velocidade de pensamento, a forma como quero sempre tudo de forma intensa, no fundo seja o que te deixa vivo, a sentir que valho a pena.

Vou prometer que te deixarei, livre, para seres o que já vi antes e gostei, tanto, que ainda aqui estou!

Pág. 17/17