Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Dom | 03.01.21

Os anos passam...

sueamado



Os anos passam para que possamos evoluir e mudar, mas apenas nos mudam quando nos sentimos prontos. O foco não pode estar no calendário, mesmo que já saibamos, alguns de nós, que a conjugação dos astros nos infuencia. Querer diferente passa por ser e fazer diferente, não existem fórmulas mágicas.

Ainda estamos a viver e a conviver com o resultado dum ano há muito previsto, mas do qual nunca esperámos ter que escrever. Os efeitos não terminarão com o virar de 24 horas, as restantes, dia-após-dia, serão como as quisermos viver, se mantivermos vivas as imagens que não desaparecerão tão cedo, mas que eventualmente terão servido para algo. Assim o espero!
Tanto se tem falado em proximidade, cuidado e toque, mas continuo a perguntar porque razão teremos que perder, ou não poder, para querer? Juro que não entendo a raça humana e o seu constante foco no supérfulo para que se sintam grandes, no julgamento constante para camuflar fraquezas e na desvalorização do que realmente os pode tornar felizes. Desenganem-se os optimistas, porque a salvação não chegará agora, não ainda e não enquanto nos continuarmos a cruzar com quem apenas olha para o que é pouco exemplificativo do que se tem dentro.
Os anos passam, passou mais 1, mas para mim nenhum jamais o será em vão. Sinto-me reabilitada, mais sábia e mais motivada a conseguir o que tanto construí mentalmente e não precisei duma pandemia para o identificar. Os anos passam, mas se nada fizermos para nos cuidarmos interiormente, jamais nos cruzaremos com quem saberá fazer todo o percurso valer a pena. Os anos passam, mas o importante e real estará presente em cada novo dia.
Sex | 01.01.21

Mesmo sem amor...

sueamado


Mesmo que sinta saudades de ter por quem acordar, confesso que acordo muito mais tranquila por já não precisar de sentir saudades de alguém. Até quando sinto vontade dos beijos, de ter uma boca que se encaixe na minha, sei que estar livre para beijar  quem escolher, ou nem sequer beijar, compensa tudo. 

Já ninguém me chama de querida ou me atira uns quantos "amo-te", mas já amei tanto e a quem escolhi, que não me sinto no direito de reclamar.

Mesmo que saiba que não ser a mulher de alguém me impede de alguns sentimentos bem poderosos, sabe-me bem perceber que tenho o poder que me atribuo e nem preciso de o justificar. Mesmo que não tenha uma qualquer metade inteira que se encaixe, vou tendo a força e a sabedoria para não lamentar nada do que decida escolher, porque sou a condutora do meu destino.



Pág. 3/3