Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Feel Me

Sou tudo o que escrevo e escrever é o que me move!

Seg | 30.11.15

Contacto humano!

sueamado
Feelme/Contacto humano!


É tão fácil esquecermo-nos de como chegar aos outros, mesmo, sem ser pelas teclas de um computador, ou por um qualquer telemóvel!

Os milagres estão a acontecer, todos os dias, de cada vez que alguém permite ser tocado, conseguindo perceber do que são feitos os outros, os que importam. Não será pela época natalícia, serão tão somente devaneios de quem, em conjunto com muitos outros, está a entender o que deve e pode ser feito. Basta querer, basta estarmos prontos, basta que aceitemos as mãos que se nos estenderem.

Os "intervalos" nunca deverão ser demasiado prolongados, sob o risco de quebrarem o encantamento, de nos levarem a ver com olhos de uma realidade que ofuscará os sonhos, e eles fazem tanta falta. Por vezes é nos "intervalos" que nos retomamos, que reavaliamos, mas que também nos perdemos, e eu sei, por mim, o quanto é difícil reencontrar o que se deixou ir...

Anda, por aí, tanta gente que não sente, que não tem e que não vê o outro, nem o que fará tanta falta até deixar de o fazer, levando o melhor de cada um, a parte que permitiria superar a normalidade, transformando-a em algo que valesse mesmo a pena viver.
Andamos, quase todos, à procura, de algo ou de alguém que faça sentido, que valha a pena, e que nos ajude a prosseguir.
Andamos, muitos, tão sós, que a solidão já quase se tornou uma nova estação do ano, daquelas que volta, religiosamente, na mesma altura, sem falhar como nos falham os que não nos querem.
Andamos, a perder demasiado tempo com pormenores técnicos, deixando cair o importante em saco roto.

Sabermos que não estamos sózinhos, mesmo que longe de quem já nos inundou o coração, faz com que até os dias frios nos consigam aquecer.
Sabermos que não estamos sózinhos, tendo o toque que esperámos e conseguimos conquistar, permite que tudo o resto funcione.
Sabermos que o contacto humano é uma opção, e não um impedimento imposto, consegue-nos mudar e restabelecer.

O que precisamos de fazer? Para começar, precisamos de querer!